Investimento Público – Comparações Internacionais

Investimento Público – Comparações Internacionais

27/11/2018

O acúmulo de capital é um dos fatores que leva ao desenvolvimento econômico. No entanto, nos últimos anos, temos observado um processo de deterioração do estoque de capital público. Recentemente, o Observatório de Política Fiscal divulgou estatísticas históricas de investimento público que mostravam que o nível de investimento de 2017 havia sido o mais baixo da série histórica iniciada em 1947.

As estatísticas do Tesouro Nacional, por sua vez, mostram que o investimento realizado pelo governo não é suficiente para repor a depreciação do estoque de capital. Não é à toa que estamos observando desabamento de estruturas públicas como pontes e viadutos em algumas grandes cidades do país. Os problemas causados pelas enchentes também têm causado perdas de vidas, congestionamentos e muitos transtornos na vida dos brasileiros.

O Observatório de Política Fiscal divulga uma série histórica dos investimentos públicos para vários países no período 2000-2017. Essa base de dados foi compilada pela OCDE e inclui países membros e não membros.

O gráfico a seguir mostra a comparação dos investimentos públicos no Brasil com a média desses países. Os dados mostram que os governos no Brasil investem bem menos do que os outros países em média. A diferença que se situava em torno de 1,5 p.p. do PIB, começou a ser reduzida a partir de 2007 quando o PAC foi instituído. Depois da crise iniciada em 2014 a diferença voltou a crescer e em 2017 superou 2 p.p. do PIB.

Quando observamos as médias por país, verificamos que o nível de investimento público no Brasil é muito inferior ao resto do mundo. Nesta base de dados o investimento público brasileiro só é superior ao da Costa Rica. Em relação à média da OCDE, o Brasil investiu 1,6 p.p. a menos por ano. Na outra ponta, os países que exibem maior investimento dos governos são os que compõem os emergentes cujo nível de investimento está se aproximando de 5% do PIB por ano.

Para uma perspectiva mais concreta do que essa diferença significa, se acumularmos a diferença em relação à média por 18 anos obteremos uma diferença acumulada de 31% de estoque de capital público em relação à média desses países. Considerando a diferença média em relação à Coréia, a diferença de estoque de capital público aumentou 70% nos últimos 18 anos entre os dois países.

Até meados dessa década, o objetivo era viabilizar investimentos em infraestrutura, mobilidade urbana, saneamento, transporte, dentre outros. A situação atual é mais dramática: os governos precisam reordenar suas finanças e voltar a funcionar para oferecer o mínimo de condição para suas populações, pois o nível de investimento está muito abaixo do necessário para desenvolver o país.

 

Deixar Comentário

Veja também